Neste domingo, 24, a Casa de Cultura de Maricá inicia, a partir das 14h, o projeto Jam Sessions, idealizado pelo baterista, compositor e produtor fonográfico Cacá Colom, com o objetivo de conhecer a identidade musical de Maricá e criar um movimento em torno disso. No primeiro encontro (a entrada é gratuita) contará com a participação especial do pianista Kiko Continentino, há dez anos no grupo que acompanha Milton Nascimento em seus shows.

“Eu sou do Rio e, quando vim morar na cidade, percebi a existência de muitos músicos e cantores locais, mas que ou tocam e cantam em igreja ou em bar. Então, eu e o Cleto, da Violão Maricá, pensamos em criar um point musical, onde cantores e músicos pudessem trocar experiências, fazer oficinas, workshops, enfim, fazer um barulho. E a Sala Darcy Ribeiro da Casa de Cultura nos foi oferecida pelo secretário Sérgio Mesquita”, contou Cacá.

Ele lembra ainda que, num sábado antes de a Festa Literária de Maricá terminar, fez uma jam session com o saxofonista Zé Canuto na loja do Cleto. E, depois, quando soube que o baixista Artur Maia ia fechar a Flim, não teve dúvidas de que a ideia do projeto podia ser um bom caminho para a cultura no município.

“Temos certeza de que muitas coisas boas podem sair dessas reuniões dominicais, bandas serem formadas, talentos revelados. E por isso estamos convidando todo mundo a sair de seu casulo e aparecer no domingo, trazer sua voz, seu instrumento”, disse.

Estúdio Novo Rumo, Sindicato dos Músicos, União Brasileira dos Compositores e Grupo LR, em Laranjeiras, são alguns dos apoiadores do projeto. “Sérgio Mesquita pretende criar, futuramente, na Casa de Cultura, a 5ª Jazz. Acredito que a Jam Session seja o primeiro passo nessa direção, inclusive para conseguirmos também patrocinadores”, conclui Cacá.